PRÓTESES DENTÁRIAS FIXAS

Tratamento

Entende-se por prótese fixa toda e qualquer reabilitação dentária que não seja suposto remover pelo doente para a sua higiene. Contudo nas próteses totais reabilitadas sobre implantes, poderá ser necessária a sua remoção (pelo médico assistente) com objetivo de obter uma destartarização (higiene oral) mais profunda e evitar peri-implantites.

AS PRÓTESES FIXAS ENGLOBAM:

  • Coroas Unitárias, sobre dentes ou sobre implantes, podendo estas ser metálicas, em ouro, metalo-cerâmicas, cerâmicas puras, acrílicas (resina acrílica) ou cerômero (resina misturada com cerâmica que confere melhor estética e durabilidade quando comparada às resinas comuns);
  • Pontes com vários elementos totais cerâmicas ou híbridas sobre dentes ou sobre implantes;
  • Pontes parciais até só de dois elementos com recurso ao uso de pônticos em extremidades livres (cantilevers);
  • Facetas estéticas fixas sobre dentes;
  • Inlays/onlays (restaurações indiretas que consistem em incrustações metálicas, em compósito ou em porcelana, pré-fabricadas em laboratório com o propósito de preencher a estrutura dentária perdida complementando a remanescente e, conferindo maior resistência do que uma extensa reconstrução por exemplo em resina composta: compósito, constituindo uma boa alternativa à coroa quando queremos e podemos preservar mais do dente natural).

As coroas unitárias sobre dentes, envolvem 100% a parte visível do dente, sendo maioritariamente colocadas em dentes desvitalizados, visto que habitualmente se trata de peças dentárias já muito destruídas com compromisso do nervo. Ao invés do nervo, os canais das raízes desse dente são preenchidos com um cimento biocompatível que por sua vez envolve uns cones de Gutta Percha.

Dentro desses canais é então cimentado um falso coto que servirá de núcleo para a respetiva coroa. É uma forma segura de obter estética e durabilidade em dentes bastante fragilizados. Poderão haver casos, se a destruição não for de risco para a polpa ou nervo do dente, em que apenas é talhado o remanescente dentário, assumindo este o próprio núcleo, no qual a coroa é cimentada.

Este último é o caso em que o dente permanece vivo, dispensando assim a desvitalização e o recurso ao falso-couto ou espigão. As coroas sobre implantes podem ser aparafusadas diretamente ao implante ou cimentadas sobre um falso couto que por sua vez é aparafusado ao implante.

INDICAÇÕES DA PRÓTESE FIXA:

  • Reabilitação de dentes destruídos por cárie ou mesmo fraturados, em cuja restauração se torna insuficiente;
  • Como suporte de outras próteses removíveis aumentando a resistência dos pilares da mesma;
  • Reabilitação de dentes desvitalizados em cuja estrutura dentária remanescente ficou fragilizada;
  • Reabilitação estética, nos casos em que pela cor, formato ou posição, o dente se torna inestético constituindo a melhor solução;
  • Reabilitação oclusal, quando a posição do dente natural interfere com a estabilidade e harmonia do sistema estomatognático, não permitindo o assentamento confortável do dente no seu oponente;
  • Substituição de coroas ausentes, pelo aproveitamento de raízes desvitalizadas isentas de qualquer lesão e cuja estrutura assim o permita;
  • Substituição de dentes (coroa+raíz) totalmente ausentes, recorrendo à colocação de implantes que lhe sirvam de suporte ou através de pontes que suprimem a ausência dos mesmos ficando algumas suspensas no lugar dos dentes ausentes (pônticos) e outras, geralmente nas extremidades, apoiando-se sobre dentes que permaneçam na arcada, tornado estes os pilares da ponte fixa.

Na Dentisaúde preocupamo-nos em garantir que toda e qualquer reabilitação cumpra os seus requisitos, como tal, relativamente à prótese fixa não descansamos enquanto a realização da mesma não apresentar as seguintes características:

  • Anatomia ou forma – deve possuir uma caracterização natural da cerâmica de modo a confundir-se com o seu próprio dente;
  • Tamanho – este deve não só preencher o espaço adequado como permitir uma boa higiene;
  • Cor e Translucidez – que deverá ser igual à dos dentes vizinhos, permitindo que a luz atravesse a coroa, da mesma maneira para que se pareça o mais possível com o seu dente natural;
  • Posição – deve seguir o alinhamento e nivelamento dos restantes dentes da arcada;
  • Função – deve permitir que a oclusão (encerramento dos dentes) seja feita sem esforço, sentir conforto e harmonia no assentamento dos dentes de uma arcada relativamente à sua oponente de modo a que a mastigação se processe naturalmente e obtendo o máximo resultado;
  • Expectativas do doente – naturalmente que corresponder ou superar as expetativas do doente é uma condição que consideramos essencial para darmos o ato clínico como concluído com êxito.

Hoje em dia, já existem técnicas assessoradas em programas de software específicos, que permitem analisar, projetar imagens em 3D, criar, modificar fabricar o mais ínfimo pormenor anatómico ideal com maior resistência, durabilidade e qualidade. A mais recente é o Sistema CAD/CAM, já referido na nossa área de Implantologia.

A nossa clínica conta com este sistema na produção da reabilitação coronária ou protética de todos os nossos doentes.

VANTAGENS DA PRÓTESE FIXA

A prótese fixa é mais estética, mais resistente e possui maior durabilidade. Pelo facto de ser suportada numa raiz já existente ou num implante osteo-integrado no osso de um dos maxilares, preserva mais a nossa anatomia e, como tal as condições naturais que são determinantes na conservação da saúde oral.

AGENDE A SUA CONSULTA

Horário alargado e facilidades no agendamento de consulta garantidos!